Comprar um imóvel representa a realização de um sonho para muita gente. O problema é que, por falta de experiência, algumas pessoas deixam de considerar fatores importantes no processo, como a escolha do andar ideal do apartamento. Se você não tiver atenção, pode tomar uma decisão equivocada e acabar se frustrando.

Mas não se preocupe. Foi pensando nisso que decidimos criar este post. Sabemos que a compra de um apartamento é custosa e que ele deve ser a sua moradia por um longo tempo. Então, mostraremos abaixo o que você precisa analisar para fazer a escolha certa. Confira!

Importância de escolher o andar ideal do apartamento

Um prédio costuma ter muitos andares e variar entre dois e seis apartamentos por pavimento. Cada um tem a sua particularidade, por estar em uma altura e  posicionamento únicos. Acredite: existe diferença entre morar nos primeiros ou nos últimos andares, bem como em morar de frente para o sol da manhã ou da tarde.

E não é só isso. Cada pessoa tem um perfil e necessidades diferentes, o que exige uma avaliação minuciosa de diversos fatores. Se fizer tudo certo, a escolha deve proporcionar uma moradia satisfatória e não gerar arrependimentos futuros.

Vantagens e desvantagens de morar nos primeiros andares

Os andares mais baixos são famosos pelo preço melhor. Assim, se você quer gastar menos para ter o seu primeiro imóvel, pode escolher um apartamento entre o primeiro e o terceiro andar.

A acessibilidade é outra vantagem. Como fica próximo ao térreo, permite a locomoção fácil e rápida quando o elevador estiver com algum problema. É ideal para idosos e para pessoas com deficiência.

Com relação às desvantagens, quem mora nos primeiros andares pode sofrer um pouco mais de calor, já que os prédios ao redor impedem a circulação de ar. Os moradores também devem perceber mais barulho, acúmulo maior de poeira e insetos voadores, pois estão muito perto da rua.

Vantagens e desvantagens de morar nos últimos andares

Começando pelas vantagens, os apartamentos nos andares mais altos oferecem uma vista mais ampla, maior frescor e privacidade. Como ficam mais distantes da rua, também costumam ser mais silenciosos e acumulam menos sujeira. Tudo isso impacta na valorização, principalmente dos apartamentos na cobertura.

Agora vem o lado negativo de adquirir um imóvel situado lá nas alturas. Uma das desvantagens é que esses apartamentos são mais caros, o que requer um financiamento mais longo e com parcelas mais altas.

Outro problema é com relação à acessibilidade. Nem todo mundo tem condições físicas e disposição para subir e descer escadas. De um modo geral, os moradores se tornam muito dependentes do elevador. Se este parar de funcionar, a locomoção demandará grande sacrifício.

Fatores para considerar na hora da escolha

Além dos andares, você precisa considerar outros fatores. Por exemplo: a posição em relação ao sol é fundamental para determinar o nível de temperatura interna. Apartamentos que pegam sol da manhã costumam ser mais frescos. Já os que pegam sol da tarde são mais calorentos.

Se você tem crianças, deve redobrar os cuidados — grades ou redes de proteção são essenciais, especialmente em andares mais altos. Também avalie o número de elevadores. Em um prédio com muitos apartamentos por pavimento, o fluxo de passageiros será grande e a quantidade insuficiente tornará a espera muito longa.

Além disso, se na família há idosos e pessoas com deficiência, pense nas necessidades deles. Verifique se existem corrimãos, rampas de acesso e indicadores de direção em Braille para facilitar a locomoção nas dependências do prédio.

Como pode ver, a escolha do andar ideal do apartamento é fundamental para gerar satisfação com a aquisição. Coloque na balança os prós e os contras que apresentamos e siga as nossas recomendações. Assim, garantirá o melhor para você e sua família.

Gostou? Compartilhe este post nas redes sociais agora mesmo e ajude outras pessoas a escolherem o apartamento dos sonhos!