Na hora de comprar um imóvel próprio, muitas pessoas vão em busca de um financiamento imobiliário. A disponibilidade desse crédito é reservada à compra de imóveis para moradia de pessoas físicas, ou seja, pode ser uma casa ou apartamento prontos para morar, imóveis ainda na planta ou apenas para a aquisição de um terreno.

Contudo, a grande maioria das pessoas tem dúvidas sobre como financiar um apartamento sem ter dor de cabeça. Em linhas gerais, essa operação funciona de maneira muito simples: uma instituição financeira paga o proprietário do imóvel e quem está adquirindo o bem passa a dever para o banco o valor que foi financiado.

Se você se assusta só de pensar em organizar a papelada para o financiamento, não se preocupe. No texto de hoje vamos explicar como funciona todo o processo de financiamento de um apartamento. Acompanhe!

Como financiar um apartamento

Atualmente diversos bancos oferecem financiamento imobiliário. Os procedimentos de solicitação são sempre os mesmos, porém, o que varia entre uma instituição financeira e outra são os termos do contrato. Ou seja, o prazo de pagamento, as taxas de juros, o valor liberado e outras condições que podem alterar o valor total pago no financiamento.

No primeiro momento é importante que você pesquise qual banco oferece as melhores condições para o seu caso. Depois de decidido onde será feito o financiamento, é preciso se dirigir pessoalmente até uma agência bancária para que a solicitação do crédito seja feita. E é nessa hora que é importante saber como financiar um apartamento.

Tipos de financiamento

Existe mais de um tipo de financiamento imobiliário. Contudo, não há uma opção que possa ser tida como melhor ou pior que outra. Cada opção, na verdade, se encaixa melhor na situação de um cliente que de outro. Sendo assim, conheça agora os diferentes tipos de financiamento a que você pode recorrer:

Financiamento pelo FGTS

O FGTS é o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço e foi criado para ajudar os trabalhadores a formarem um patrimônio. Por isso, o FGTS pode ser usado em momentos importantes da vida, como a compra de um imóvel próprio. Como financiar um apartamento pelo FGTS faz parte do Sistema Financeiro de Habitação, o SFH, as regras mudam constantemente e, ainda, podem variar em cada região do país.

O valor do imóvel que pode ser financiado, assim como o valor do crédito, possuem limites. Além disso, só pode utilizar o FGTS as famílias que têm até determinada renda familiar. A principal vantagem de se usar o FGTS é que, para famílias com rendas mais baixas, as taxas de juros impostas também são mais baixas.

Financiamento pelo SBPE

Este é o Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo e, portanto, não há um limite de renda para aqueles que querem financiar um imóvel. Ainda, as taxas de juros cobradas não podem ser maiores que 12% ao ano se o imóvel estiver dentro dos limites do SFH, que citamos acima. Para os imóveis que superam esse limite, as taxas de juros podem ser cobradas em qualquer porcentagem.

Financiamento pela construtora

Já os financiamentos feitos com a construtora são mais flexíveis. Não há limite de valor para o imóvel, para a renda do comprador e nem para as taxas de juros. Contudo, os compradores enfrentam maiores riscos nessa modalidade de crédito. Isso porque muitas construtoras financiam os imóveis com o apoio de um banco e, caso a construtora feche, o imóvel está hipotecado junto a instituição financeira, ainda que o comprador esteja em dia com sua dívida.

Documentos necessários

Para dar início ao processo do financiamento é preciso apresentar os documentos originais e cópias de RG, CPF, comprovante de estado civil e comprovante de renda. Se o imóvel será comprado por um casal é necessário que os dois entreguem seus documentos pessoais. E, para comprovar renda, são aceitos holerites, extratos bancários e a declaração do Imposto de Renda.

Os profissionais autônomos podem apresentar também um contrato de prestação de serviços, declaração de um sindicato, recibo de recebimentos por trabalhos ou uma Declaração Comprobatória de Recepção de Rendimentos, elaborada com um contador registrado legalmente. A comprovação de renda é necessária para afirmar que as prestações do financiamento serão pagas, já que os valores mensais cobrados não podem ser maiores que 30% da renda familiar bruta.

Avaliação de crédito

A instituição financeira pode realizar uma análise minuciosa não somente no crédito do comprador, mas também do vendedor. É pesquisado qualquer tipo de restrição legal, como junto à Receita Federal, no INSS, na Justiça Trabalhista e o que mais for necessário. Se nesse momento você se preparar e consultar, pela internet mesmo, se tem alguma restrição, pode evitar surpresas desagradáveis ao longo do processo. Caso tenha alguma pendência, procure resolver antes de entrar com o pedido do financiamento.

Avaliação do imóvel

Depois que os documentos são apresentados e o crédito é analisado, o banco avalia o imóvel em questão. A avaliação geralmente é feita por engenheiros ou arquitetos e tem como finalidade comprovar o valor do imóvel que será comprado. Em seguida o banco elabora um contrato e é solicitado que ambas as partes o assinem, ou seja, quem está comprando e quem está vendendo. O contrato precisa ser registrado em cartório e apresentado na mesma agência bancária em que o financiamento foi requisitado.

Liberação do crédito

A última etapa desse processo acontece quando o crédito é liberado integralmente e o vendedor do imóvel o recebe. A partir desse momento, o comprador deve começar a pagar suas parcelas mensais a fim de liquidar sua dívida com o banco. Se acontecer um atraso no pagamento, multas e juros podem ser cobrados. Caso o comprador não pague suas mensalidades, a instituição financeira pode recorrer para ficar com o bem, que é leiloado em seguida.

O prazo para a liberação do crédito varia entre cada caso, mas não costuma ser menos que 30 dias. O montante que o banco pode liberar para o financiamento vai depender do valor em que o imóvel foi avaliado, se é novo ou usado, a cidade onde está o imóvel e, ainda, a renda do comprador. Já o valor das parcelas mensais é calculado com base no prazo de pagamento, que pode ser de até 35 anos, e o modelo de financiamento escolhido.

Conte com ajuda especializada

Caso você não se sinta seguro durante o processo ou não tenha tempo para acompanhar como financiar um apartamento, você pode contar com a ajuda especializada de uma imobiliária. Os profissionais têm experiência de mercado e podem te ajudar desde a escolha do imóvel ideal, na avaliação, na negociação e, principalmente, na conferência do contrato.

Mas, para que todo o processo seja realizado da melhor forma possível, é necessário que você contrate uma imobiliária de confiança. Somente assim você vai compreender como financiar um apartamento sem dor de cabeça, sem gastos desnecessários e, ainda, com total segurança de que está fazendo um bom negócio.

Agora que você já conhece como financiar um apartamento, que tal buscar um imóvel novo para chamar de seu? Entre em contato e conte com a ajuda de uma equipe capacitada para encontrar sua próxima casa.