A compra da casa própria é um sonho para a maioria dos brasileiros. O problema é que, por se tratar de um bem de alto valor agregado, as pessoas enfrentam grandes barreiras para realizar esse objetivo. A falta de dinheiro para comprar à vista ou dar uma boa entrada em um financiamento leva muitos a se comprometerem com juros altos e um longo tempo de vida presos em dívidas. Mas isso pode mudar com algumas dicas de planejamento financeiro.

Com um plano bem estruturado, você não precisa se sacrificar tanto para comprar o primeiro imóvel. Basta ser paciente, disciplinado e estratégico. Para facilitar a sua vida, listamos abaixo 6 dicas que vão ajudar você a realizar o sonho da casa própria. Então, aproveite a leitura!

Por que você deve se apoiar no planejamento financeiro?

Quando você desenvolve um planejamento financeiro, passa a conhecer melhor o seu potencial gerador de renda, gastos que mais pesam no orçamento e dívidas em aberto (de curto, médio e longo prazo), podendo elaborar estratégias para equilibrar as contas e ter maior controle sobre as finanças pessoais e da família.

E não só isso. O maior controle financeiro, proporcionado pelo planejamento, deve ajudar você a comprar o primeiro imóvel mais rapidamente e com menor esforço. Acredite, a organização das finanças é o primeiro passo, pois sem isso tudo fica muito mais difícil e às cegas.

Quais são as melhores dicas de planejamento financeiro?

Agora que você já sabe por que é tão importante desenvolver um planejamento financeiro bem estruturado, separamos algumas dicas práticas e eficientes. As principais são:

1. Identifique e registre suas contas

A primeira coisa que deve fazer para ter um bom planejamento financeiro é identificar e anotar todas as suas contas. Você pode fazer isso usando ferramentas aliadas, como um bloco de notas impresso, planilha eletrônica ou um aplicativo de bolso. Depois, anote tudo o que você ganha (receitas) de um lado e tudo o que gasta (despesas) do outro, no período de um mês, para separar as contas.

Feito isso, subtraia o valor total da renda pelo total de gastos e saberá se está sobrando ou faltando dinheiro no orçamento. Repita esse processo todos os meses e faça projeções futuras para se antecipar e definir um orçamento programável. A partir daí, seja rigoroso, anotando todo o dinheiro que entra e sai dele.

2. Controle todos os gastos

Com as contas organizadas, o próximo passo é reduzir as despesas. Acredite, isso não é tão difícil se você tiver atenção e adotar algumas estratégias. Por exemplo: passe a pensar de forma racional diante de uma promoção, questionando a si próprio se realmente precisa daquilo no momento. Usar a razão nessas situações deve ajudar você a resistir aos apelas do marketing, controlar os impulsos e economizar muito dinheiro evitando dívidas futuras.

Além disso, faça uma lista do que precisa antes de ir ao supermercado, pesquise preços em pelo menos 3 e compre cada produto onde ele for mais barato. Também, troque as saídas de fim de semana por programas caseiros em família. Em casa, monitore o uso de energia, telefone e água, estabelecendo limites de consumo. Lembre-se sempre de reaproveitar o que puder.

3. Quite todas as dívidas

O controle das despesas deve dar um fôlego ao orçamento. Porém, em vez de já partir para a compra do primeiro imóvel, invista as sobras no próprio orçamento, quitando as dívidas. Quanto menos dívidas tiver, mais dinheiro sobrará no orçamento, aumentando o seu poder de investimento e compra da casa própria.

Então, junte todas as dívidas e antecipe parcelas, principalmente se tiver direito a descontos. Você também pode acumular um montante e negociar descontos para quitações completas. Além de se livrar das dívidas, pagará menos por elas.

4. Ganhe mais dinheiro

Agora, tire o foco das despesas e dívidas e passe para as receitas. É hora de buscar meios de aumentar a renda. Então, veja se a empresa onde trabalha tem um plano de carreira, estude as regras e se esforce para se enquadrar a elas. Se for necessário realizar cursos profissionalizantes, faça. O objetivo é conseguir promoções para melhorar o salário e ter maior satisfação pessoal e profissional.

Se o seu salário depende do próprio esforço, como no caso dos vendedores, estude o mercado de atuação, descubra o segredo dos melhores, atualize-se e crie estratégias para vender mais e aumentar as suas comissões. Você também pode usar o tempo livre para criar um negócio na internet e vender os seus próprios produtos e serviços, ganhando uma renda extra.

5. Faça investimentos

Seguindo as dicas anteriores você deve elevar bem o potencial de acúmulo de dinheiro. Aproveite a oportunidade para investir parte dele, aproximadamente 80%, em títulos de renda fixa, como o Tesouro Direto, CDB (Certificado de Depósito Bancário) e fundos de investimentos, para capitalizar juros e fazer ele crescer ainda mais.

O restante você pode deixar em uma conta poupança para emergências, já que se beneficia de maior liquidez e de um rendimento capaz de descontar a inflação. Esses investimentos devem ganhar aplicações mensais até você acumular o suficiente para comprar o imóvel à vista ou dar uma boa entra num financiamento.

Mesmo financiando a casa própria, esforce-se para manter essa estrutura, incorporando as parcelas no orçamento e sempre investindo uma parte para o futuro.

6. Engaje a família

Se você é casado(a) e tem filhos(as), apresente a ideia a família e faça um planejamento financeiro em conjunto, onde cada um ganha a sua própria meta. Quem não tem renda, por exemplo, pode contribuir com a redução de consumo. Depois, informe a eles(as) os detalhes do plano e explique por que isso é tão importante para a família.

Uma boa dica para alcançar um alto nível de engajamento é oferecer pequenas recompensas pelos esforços dedicados, sempre proporcional ao atingimento das metas. Pode ser um percentual em dinheiro, uma viagem ou o que for relevante para os participantes. Use a criatividade e transforme o esforço diário numa prática divertida.

Se você seguir essas dicas de planejamento financeiro à risca, deve se surpreender com o que pode alcançar na vida. A compra do primeiro imóvel representa um dos investimentos mais importantes, e isso será só o começo, considerando que outras grandes realizações serão facilitadas no futuro. Então, não perca mais tempo e comece a se planejar ainda hoje!

E você, tem alguma sugestão ou dúvida sobre como realizar o planejamento financeiro? Compartilhe os seus conhecimentos e experiências com a gente nos comentários!